segunda-feira, 25 de julho de 2011

Euclides Pinto Martins (Historiografia resumida)



Euclides Pinto Martins nasceu em Camocim, no dia 15 de abril de 1892, mudou-se para o Rio de Janeiro em 12 de abril de 1924, ele foi um dos principais aviadores da historia da aviação. Ainda jovem e em fins de 1922 foi escolhido como parte da tripulação de um avião fretado pelo jornal "The New York World", que patrocinava a tentativa de uma viagem aérea pioneira entre as Américas do Norte e do Sul.
Aquela foi uma época de grandes raides, mas se hoje é ainda perigoso sobrevoar a  Floresta Amazônica em aeronaves pequenas, na década de 1920 isso era considerado loucura.
A viagem deu-se inicio nos E.U.A, em novembro de 1922, e terminou no Rio de Janeiro, em fevereiro de 1923, após terem sido sobrevoados os 5.678 quilômetros do percurso em cem horas de vôo, sendo que a cada instante eram interrompidos por vários problemas. O primeiro pouso foi em águas brasileiras que ocorreu no dia 17 de novembro de 1922, quando Euclides Pinto Martins e seus colegas americanos aterrissaram na foz do rio Cunani.
Apos, o episódio foi repassado pelo próprio Pinto Martins a um repórter do Jornal "O Estado do Pará":
"Quando levantamos vôo de Caiena encontramos forte temporal pela proa. Rompemos o mau tempo com dificuldade, mas tivemos de procurar abrigo. Tomei a direção do aparelho (ele era co-piloto) e depois de reconhecer o rio Cunani aí descemos às 3:30 horas. O tempo, lá fora, era impetuoso e ameaçador. Não nos foi possível prosseguir e passamos a noite matando mosquitos e com bastante fome, pois não contávamos interromper a rota…"
Essa e outras aventuras tornaram a viagem New York - Rio uma terrível aventura de obstáculos, só superados pela coragem dos tripulantes.  Euclides Pinto Martins foi recebido pelo presidente Artur Bernardes e recebeu um prêmio de 200 contos de réis(era o dinheiro daquele tempo). Viajou à Europa, voltou ao Rio e iniciou negociações para explorar petróleo. Foi quando ocorreu sua morte brutal, no dia 12 de abril de 1924. Até hoje o episódio não está bem explicado, mas Monteiro Lobato, em seu livro "Escândalo do Petróleo e do Ferro", sustenta que Martins foi vítima dos poderosos lobbies interessados em atrasar o desenvolvimento brasileiro.
A verdade talvez nunca venha a ser conhecida. Depois de discutir com seu companheiro de viagem Walter Hinton ele sacou de uma arma e suicidou-se a vista da amante.
Em 1952, atendendo os desejos dos seus conterrâneos, o Presidente Café Filho sancionou Lei no Congresso decretando que daria o nome de Pinto Martins para o aeroporto da capital cearense. Justiça, mas ainda pequena, para o homem dinâmico que na década de 1920 soube visualizar  de anti mão a importância econômica da ligação aérea regular entre os Estados Unidos e o Brasil. E que teve coragem de investir na exploração do petróleo, no Brasil, quando isso era visto por todos como uma loucura (Sobre a relação de Pinto Martins com a exploração do petróleo, há algumas informações adicionais no livro de Monteiro Lobato "O Escândalo do Ferro e do Petróleo", que o coloca como um dos mártires dos estudos de prospecção de petróleo no Brasil). A viagem New York-Rio de Janeiro também era considerada loucura, mas ele a concluiu.
Hoje o Aeroporto Internacional Pinto Martins, se localiza na capital do estado do Ceara onde o mesmo leva esse nome, pelo o ato de coragem e destreza, que Euclides Pinto Martins teve ao encarar essa viagem que corta o continente americano de uma ponta a outra, seque que isso era considerado como loucura naquele tempo.

 A cidade que foi berço do grande aviador brasileiro fez uma homenagem ao mesmo, colocando um avião em sua memória, e preservando sua casa onde ele nasceu e passou sua infância.












VEJA AQUI MAIS FOTOS DE CAMOCIM
Anterior Proxima Página inicial

0 comentários:

Postar um comentário