sexta-feira, 5 de agosto de 2011

SPORT CLUBE - Camocim - Ce



Na primeira década do século XX, da era de Cristo, os camocinenses de elite, fundaram o primeiro clube social da terrinha, a que deram o nome se SPORT CLUB. Edificaram-no em suntuoso prédio de notável estilo, com amplos salões e outros necessários cômodos, cujo serviço de bar, ficava em ampla e graciosa varanda lateral, tudo em solo alevantado à altura de dois metros e piso de decorativos mosaicos. Era uma beleza, o SPORT CLUB, que até hoje mantém, desafiando o tempo, paredões que sobraram ao infausto incêndio ocorrido no ano de 1931, coisa pavorosa e inclemente, que a nada poupou.
O mesmo tinha amplos salões, eles eram destinados às danças e tertúlias; sim, na época, a Elite dava singular e aprimorado destaque, às letras e às artes, embalada pelos versos da poesia em voga, trazida pelas asas do Parnasianismo emergente, de que se deleitavam Alberto de Oliveira, Bilac, Raimundo Corrêa e tantos outros. Tal cultivo era seguido de perto, pelo Grêmio Literário Camocinense, fundado por Júlio Cícero Monteiro, que também foi Diretor do conceituado jornal A RAZÃO, semanário de bom feitio, e que possuía oficina gráfica própria, que pertencera, anteriormente, ao jornalista André Pessoa, cidadão possuidor de vasta cultura.
As paredes internas do SPORT CLUB, era adornadas com pintura a óleo, verde-claro, e emolduradas por admiráveis decorações pinturas elegantes, da arte do artista plástico Manuel Queiróz, de elegante estilo, que se transferiu posteriormente para o Rio de Janeiro, onde passou às atribuições de ilustrador das revistas mais importantes da época, na corte, bem como, na qualidade de estilista admirável, tornou-se mestre em decorações ambientais.
O SPORT CLUB, palco de grandes eventos, promoveu sessão solene e baile elegante, em recepção ao aeronauta Pinto Martins e seus quatro companheiros de aventura, quando aqui amarrou o hidro-avião Sampaio Corrêa II, vindo do tortuoso e pioneiro RAID AÉREO, Nova Iorque-Rio de Janeiro.
Assim era o SPORT CLUB de Camocim, ceifado por um brutal incêndio, mas que ainda mantém intacta, parte de sua estrutura, num arcabouço que desafia o tempo, cuja frente impávida, ainda retrata a beleza de desenhos emoldurados, em colunas tipo neo-clássicas, tiradas ao gótico, capitéis, cornijas e cimalhas graciosas, obras de pedreiros da terra – trabalho que já não existe quem faça -, verdadeiros mestres de obras de antanho, formados na escola do trabalho, com destaque para o mestre José Eufrásio de Oliveira, bom caráter e bom pedreiro. O custeio da obra do SPORT, foi dedicação espontânea do Sr. João Batista Veras, empresário de larga visão progressista, um típico MECENAS. Foi ele, também o idealizador do Cine Teatro Éden, no ano de 1929, o que marcou época na cidade de Camocim.
Foi, portanto, no dealbar da fatídica manhã do ano de 1931, que acabou-se em chamas, o suntuoso SPORT CLUB, de histórica tradição, quando o povo espantado, saiu às ruas, ante o inusitado bimbalhar do sino da Igreja Matriz, anunciando a desdita.

Artur Queiróz


VEJA AQUI MAIS FOTOS DE CAMOCIM
Anterior Proxima Página inicial

0 comentários:

Postar um comentário