segunda-feira, 23 de abril de 2012

A recepção de Nossa Senhora em Camocim – 6 de novembro de 1954.



Desde que os fiéis tiveram conhecimento da Circular do Sr. Bispo Diocesano, concernente à Peregrinação da Imagem de Nossa Senhora de Fátima por toda Diocese, não pouparam esforços no sentido de preparar uma recepção condigna da Excelsa Virgem Peregrina. Foram logo organisadas pelo Vigário três comissões tendo por objetivo (de) dirigir o movimento de preparação e recepção. O mez de Outubro foi inteiramente consagrado às glórias de Maria. Uma imagem de Nossa Senhora de Fátima era conduzida em procissão aos lares em visitas diárias, sendo levada a efeito a cadeia do terço e novena, acompanhadas de cânticos bem expressivos referentes às aparições de Nossa Senhora de Fátima como o hino: “Aos 13 de Maio” e outros.
No dia 3 de novembro iniciou-se um tríduo para se encerrar com a chegada da Imagem Peregrina no dia 6 pela manhã. Chegando o dia ansiosamente aguardado Camocim em peso foi despertado pela banda de música local, pela voz da amplificadora (local) e pelo estrungidos foguetes. A cidade toda ostentava um aspecto festivo. Em todos as ruas extenderam-se faixas com dísticos expressivos, casas embandeiradas, edifícios engalanados e calçamentos semeado de flores.
Ás 3.30 foi celebrada a 1ª missa festiva pelo Vigário e a 2ª pelo Revdmo. Pe. João Batista Araújo, Pároco de Chaval, que fora convidado para emprestar brilho às festividades. Grande número de fiéis abeirava-se do Banquete Eucarístico.
Os alto falantes de vez em quando conclamava o povo a se preparar para receber condignamente a Excelsa Peregrina. Avultava cada vez mais o número de pessoas, vindas de todos os cantos da Paróquia.
Ás 7 horas, Militares, Funcionários, Associações pias e classes se fizeram presentes ao arco triunfal á entrada da cidade, enquanto uma compacta multidão entre vivas e cânticos a alviçareira chegada da Santa, digo aguardava a chegada da Santa. Ás 7:20 o avião que trazia a Imagem aterrizou no campo de pouso. A comitiva da Santa era constituída do Revmo Padre Francisco Demontier, Dom Raimundo Castro, Bispo Auxiliar de Terezina, Mons. Manuel Marques dos Santos, Padre Sabino Lima, vigário de Acaraú. Sob as ovações calorosas do povo que para ali afluía, a Imagem foi recebida pelas Autoridades locaes e levada em um automóvel do Pe. José Palhano que momentos antes viera de Sobral, para o arco triunfal. Trasladada para o carro andor, artisticamente ornamentado figuras mais salientes da sociedade local, foi conduzida procissionalmente para Igreja Matriz. Nesse momento se desenrolou o mais emocionante espetáculo jamais verificado nesta cidade; uma massa enorme formando o préstito, prorrompeu em ovações e vivas, aqui era a euterpe local executando as melhores peças; ali o ribombar dos foguetes, cânticos expressivos, hinos. É sem dúvida inexprinsivel o cenário daquelles instantes. 
Tendo chegado a Imagem Caminheira ao Obelisco, efetuou-se o ato inaugural desta obra eregida pela Prefeitura local para marco comemorativo da Visita de Nossa Senhora de Fátima nesta cidade em 6 de novembro de 1954. Nessa ocasião a Imagem recebeu a saudação da cidade proferida por Pe. Ignácio Nogueira Magalhães, seguida de brilhante alocução feita pelo Sr. Clodoveu Arruda em nome da população, em seguida o Sr. Setembrino Veras Fontenele, o Prefeito, depositou aos pés da Virgem Peregrina um cartão de ouro, oferta da cidade, trazendo um belo soneto da autoria do Sr.José Arimatéia Filho. Ato seguido, a Imagem, digo sob calorosos aplausos da multidão delirante, a Imagem foi transportada e colocada no Altar Campal, defronte da Igreja Matriz. Depois desses momentos a nota de destaque que emprestou mais brilho às homenagens à Virgem de Fátima foi a missa campal celebrada pelo Revmo. Pe. José Palhano. Após a missa o povo rezava e cantava. Instantes antes da despedida Pe. Demontier deu com a Imagem a benção aos enfermos, extensiva a todos presentes. É pena que tenha demorado tão pouco a Excelsa visitante, apenas duas horas e meia nesta cidade onde a devoção à Santíssima Virgem já tem profundas raízes e foros de celebridade.
Na hora da partida de Nossa Senhora de Fátima, foi tal a comoção dos presentes que muitos não puderam conter as lágrimas.
Será por certo, este acontecimento gravado eternamente na memória dos fiéis e nos anaes da História de Camocim.
Cumpre assinalar que tiveram papel preponderante na organisação das festividades ena preparação dos homenagens em honra da Imagem Caminheira de N. Senhora de Fátima: Tenente Octávio de Santana, Agente da Capitania dos Portos, Sr. Benito Tavares, a quem se deve o cunho verdadeiramente artístico do Altar Campal, as Snras. Aída Perales Veras e Mirian Gomes Parente.
Em tempo: Mons. Manuel Marques dos Santos, ilustre componente da comitiva da Excelsa Peregrina é Vigário Geral da Diocese de Leiria, onde está situado Fátima, local das aparições de Nossa Senhora em 1917.
A dádiva dos fiéis, depositada nos pés da Santa pelo Prefeito local, foi comprada em São Paulo no valor de 15.000,00 (quinze mil cruzeiros).

Fonte: Arquivo da Paróquia de Bom Jesus dos Navegantes. 2º Livro de Tombo – 1931 a 1961, p. 151-53.    
Anterior Proxima Página inicial

0 comentários:

Postar um comentário